Entre em Contato

11 3057.3003

Melhore sua Saúde Mental


Leia Também


Fertilidade altada à alimentação

A nutricionista Marisa Bampa Thompson concorda que não existe uma dieta específica para fertilidade, mas sem dúvida é importante a manutenção de alimentação equilibrada para aumentá-la. Estando nosso organismo funcionando da melhor maneira possível, pois quanto mais saudável mais preparado para que todas as suas funções estejam prontas para realizar principalmente a fecundação. Como este assunto tem estado em destaque devido a estudos nacionais e internacionais podemos nos ousar a dar dicas sobre a importância de alimentos para montarmos um cardápio como um coadjuvante ao tratamento do FIV.

Dicas para um futuro de sucesso

  • Não ingerir gorduras trans, pois 2% da ingestão deste tipo de gordura eleva em mais de 100% os ricos de infertilidade.
  • Atenção: Compre produtos industrializados com a restrição desse tipo de gordura.
  • Invista nas gorduras ricas em ômega 3 e 6. Consuma azeite prensado a frio com acidez menor possível, pois quanto mais baixo e puro é a oliva, óleo de canola ou girassol, salmão, sardinha, linhaça e amêndoas (sem excesso, pois engorda). Essas gorduras tornam a membrana que envolve óvulo mais fluida que facilita a penetração do espermatozóide e a saída do embrião que vai se implantar no útero.
  • Troque todas as farinhas brancas (macarrão, pão, biscoito e outros) pela versão integral, segundo estudos mulheres que ingeriam poucos grãos integrais e comiam arroz, batata e doces tinham 55% de probabilidade de apresentar ovários policísticos, que leva a ovulação irregular.
  • Importância do acido fólico – Este é importante desde o inicio (fecundação ate o final da gestação), pois ajuda na formação do sistema nervoso do feto e é eficaz da manutenção da gravidez principalmente no primeiro trimestre, quando o risco de aborto natural é maior. Coma soja, fígado, vegetais verdes escuros e levedo de cerveja. A suplementação medicamentosa só devera ser feita pelo seu médico.
  • Pelas pesquisas 70% das mulheres que tomavam leite integral teriam menos risco de ter problema de infertilidade do que as que raramente tomavam. Durante o tratamento troque os desnatado e semi-desnatado pelo integral (um copo ao dia), mas cuidado para não engordar.
  • Pelas pesquisas a suplementação em mulheres com 40mg de ferro reduz em 40% a possibilidade de apresentar problema de infertilidade. Consuma alimentos como: couve, beterraba e açaí. A suplementação medicamentosa devera ser feita pelo medico de acordo com a sua necessidade.
  • Líquidos – A hidratação é essencial para todas as funções de nosso corpo inclusive a fecundação. Tome cerca de 3 litros de água por dia. Evite: café, chás, ou seja, as infusões em geral (máximo 2 vezes ao dia), refrigerantes devem ser cortado devido ao açúcar e a formação de gases.
  • Controle de peso - Após estudo no Hospital das Clinicas, após perderem 3% do peso 60% das mulher com sobrepeso apresentam ciclos ovulatórios normais. Ter um índice de massa corpórea (IMC) entre 21 a 25 indica boa fertilidade, porque mais ou menos do que isso pode afetar a fertilização.
  • Substituir proteína animal pela vegetal melhora a ovulação. Estudos mostraram que a infertilidade ovulatória era 39% maior em mulheres que consumiam mais proteína animal. Isto não significa abolis carne do cardápio, mas reduzir a ingestão para duas vezes por semana e escolher outras fontes protéicas como: peixe, soja, feijão e outros grãos em geral.

Dicas para contribuir para o sucesso do tratamento

  • Pequenas alterações no típico cardápio brasileiro que podem aumentar a fertilidade.
  • Exemplo: Arroz branco por integral, Peixe, soja e grãos por carne vermelha (maior valor protéico)
  • Saladas de legumes e verduras verdes escuras, duas nozes ou três castanhas por dia. (maior valor de ácido fólico)
  • Leite integral – 1 copo ao dia (maior valor de cálcio)
  • Couve, beterraba e açaí (maior valor de ferro)
  • Óleo rico em ômega 3 – 6: canola, salmão, sardinha, girassol

OBS: Estes não são as únicas fontes alimentares de cada um deste grupo, mas sim os ideais para o tratamento da fertilidade.

Para formação diária do seu cardápio com alimentos e substitutos em quantidades individualizadas, para manter seu peso adequado (nem acima nem abaixo do ideal para melhor fertilização), entre em contato com seu nutricionista ou pelo site www.conceive.com.br para melhor esclarecimento sobre o assunto.

Fonte de referencia: New York Times / Livro Fertility Diet, da universidade de Harvard

Opinião de médicos especializados em saúde publica: Dr. Jorge Chavarro, Walter Willet e Patric Skerret, da Harvard School oh public health.